quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Glória Pires volta a fumar depois de nove anos para viver "mocinha muito doida"


Atriz global grava o filme “É Proibido Fumar” ao lado do músico Paulo Miklos e só retorna às novelas em 2010, em trama de Gilberto Braga
Glória Pires está nervosa. Na última segunda-feira (17), o comentário no set de “É Proibido Fumar” em Paulínia, interior de São Paulo, era o de que haveria algum problema com o vestido que a atriz usaria na cena do dia. Baby, sua personagem no longa de Anna Muylaert (“Durval Discos”), vai à festa de aniversário da filha de uma amiga. Envolvida com a comemoração, ela acompanha as outras personagens em uma improvisada dança do ventre. Em seu pequeno trailer nos fundos da imponente sede da Fazenda Via Cava, onde as últimas cenas do filme foram rodadas, Glória se prepara para a seqüência da festa. Já vestida como a personagem e sendo maquiada, a atriz recebeu a reportagem do Abril.com e falou sobre Baby, uma professora de violão viciada em cigarros que se apaixona pelo vizinho de apartamento. Simpática, Glória não economizou nas gargalhadas entre uma resposta e outra. Quem estava nervosa mesmo?Abril.com: Anna Muylaert (diretora de “É Proibido Fumar”) disse que te esperou alguns meses para que você pudesse participar do filme. O que atrasou essa parceria?Glória Pires: Tinha outros trabalhos, viagens (Glória passou dois meses na França), um monte de coisas, e a Anna conseguiu organizar a agenda para me esperar. E estou muito grata a ela (risos), porque foi ótimo, adorei.O que te levou a aceitar o papel?Foi o roteiro. E o fato de eu ter visto o outro filme da Anna. Eu adorei o “Durval Discos”. E como está sendo viver Baby, sua personagem?Ah, está sendo uma aventura, uma coisa totalmente diferente do que eu já tinha feito. É uma personagem que tem várias camadas. Em cada momento do filme surge uma nova Baby. A gente vai conhecendo novas facetas dela.A Baby foge um pouco do que o seu público está acostumado a ver, não? Ela parece ser uma mocinha mais realista...É que eu fiz grandes vilãs, não fiz só mocinhas (risos). Mas ela (Baby) não é uma vilã. É uma mocinha “muito doida”. (gargalhadas) Ela passa boa parte do filme fumando, e você não fuma mais. Como tem sido tomar contato com o cigarro novamente?É, eu já não fumo há nove anos. Tem sido tranqüilo, porque eles conseguiram um cigarro sem nicotina. Está sendo indolor.Rolou uma preparação para a cena de dança do ventre que vocês vão gravar hoje (segunda-feira, 17/8)?É uma festa de aniversário de uma filha de uma amiga de infância da Baby. Ela é convidada e vem. Não teve preparação. Porque a idéia é ela estar na festa, os personagens começarem a fazer a dança do ventre, ela se empolgar e entrar no meio. (Anna Muylaert, diretora, esclarece que outras atrizes da cena se prepararam para a dança)Mas preparação para tocar violão você teve. Como foi?Foi ótimo. Na verdade, quando eu e a Anna acertamos o filme, eu fiz algumas aulas de violão no Rio, com um amigo nosso, que é músico e nem é mais professor. Mas, como era muito amigo nosso, fez essa gentileza para eu ter umas noções (do instrumento). E entre essas aulas e o começo das filmagens teve um tempo enorme. Eu me mudei para Paris, ficamos lá dois meses e fiz outro filme antes, “Se Eu Fosse Você 2”. Terminei esse filme, voltei para Paris, fiquei 15 dias e então retornei para começar “É Proibido Fumar”. Quando eu voltei comecei efetivamente a trabalhar a música que eu ia tocar. Primeiro seria um repertório livre, mas aí escolhemos uma música e começamos a trabalhar com uma professora.O Paulo Miklos te ensinou alguma coisa?Não, não. Não dá tempo, a gente está sempre muito ocupado.Como está sendo contracenar com ele?Ele é ótimo. É super gentil, bom de jogo. Está sendo muito gostoso. Ele é uma pessoa muito fácil de conviver, tem um astral muito bom.Você também canta no filme?Só no momento em que toco uma música no violão. É um momento bonito, em que a Baby se reencontra com o instrumento. A gente (Glória e Anna) criou essa historinha de que ela tinha essa paixão pelo violão na adolescência e a perdeu, virou uma coisa burocrática. Esse é o momento em que ela reencontra o violão “romanticamente”.E como tem sido emendar um filme no outro? Você resolveu que esse seria seu ano no cinema?Não, não (risos). Eu não mando nas pessoas. Eu não posso resolver isso assim, “me chamem pra trabalhar!”, não é assim. (risos). Coincidiu, né? Ter que fazer novela acaba limitando sua vontade de fazer cinema?Não, eu faço novela porque também estou a fim de fazer. Como eu emendei “Belíssima” (2005) e “Paraíso Tropical” (2007), ganhei um tempinho (de folga da TV). Aí, Gilberto Braga me disse que tinha me reservado para a próxima novela dele. Eu fiquei feliz. Afinal, a gente fez ótimas coisas juntos (atriz e autor trabalharam juntos em "Vale Tudo" e "Paraíso Tropical"). E aceitei o convite. Isso significa que vou trabalhar com ele em 2010. Glória Perez criou certa polêmica ao escalar grande parte do elenco da Globo para “Caminho das Índias”, a próxima novela dela. Você não vai participar dessa?Não. Como eu estava em Paris, não rolou. Mas a Cléo vai fazer essa.

Um comentário:

Tudo disse...

Olááá,
Adorei o blog...e acho que combina com esse aqui:

http://tdpersonalizado.blogspot.com

Vai gostar desse aqui também!

Beijosss